ARTIGOS & RESENHAS - ÍNDICE


. Artigos


Textos e Imagens do Teatro no Brasil

Rosangela Patriota

RESUMO: Este artigo apresenta uma reflexão acerca do diálogo Arte-Sociedade de modo a analisar alguns momentos significativos do Teatro Brasileiro da segunda metade do século XX.

PALAVRAS-CHAVE: História e Teatro – Teatro Brasileiro – Arte e Sociedade

 


Processos Estilísticos – Aproximações e Distanciamentos no Perfil do
Herói Trágico na Peça O Santo Inquérito de Dias Gomes
Lourdes Kaminski Alves

RESUMO: Este trabalho apresenta um estudo comparativo, sob o viés da intertextualidade, entre Antígona (442 a.C.), de Sófocles, e a peça O Santo Inquérito (1966), do dramaturgo contemporâneo Dias Gomes, a fim de verificar a presença e a transformação do gênero trágico no teatro contemporâneo. A peça, observada pelo perfil da personagem protagonista, pode ser lida a partir de uma tipologia do herói trágico, na medida em que apresenta uma forte tonalidade trágica na construção da heroína e no tratamento temático, travando um diálogo intertextual com a tragédia antiga. Observa-se, também, sobre quais limites a peça estudada interage com aspectos da natureza humana e da realidade social.

PALAVRAS-CHAVE: Estudo comparativo – Tragédia antiga – Drama contemporâneo

 

 

O Teatro do Oprimido na Formação da Cidadania
Felipe Campo Dall’Orto

RESUMO: Esse artigo mostra a história e a trajetória do Centro do Teatro do Oprimido do Rio de Janeiro, surgido no Rio de Janeiro no ano de 1986. Uma associação sócio-cultural, com direção de Augusto Boal, que implementa projetos artísticos que estimulam a participação ativa das camadas menos privilegiadas da sociedade, visando à democratização dos meios de produção cultural, ao fortalecimento da cidadania e à transformação da realidade, através do Teatro do Oprimido. Um teatro que busca ser um exemplo de intervenção social, visando à inclusão social e o desenvolvimento humano. A idéia é analisar os projetos e trabalhos pedagógicos do CTO-Rio e suas contribuições na arte, na comunidade e na construção da cidadania, além da importância da formação dos grupos populares dentro das comunidades.

PALAVRAS-CHAVE: Teatro do Oprimido – Augusto Boal – Teatro Comunitário

 

 

Narradores de Javé: Histórias, Imagens e Percepções
Heloisa Helena Pacheco Cardoso

RESUMO: O filme Narradores de Javé estimula o debate pelos significados que emergem das falas de seus personagens. Construído nas articulações entre presente e passado, o enredo possibilita questionar as visões lineares de interpretação da história e refletir sobre as relações entre história e memória.

PALAVRAS-CHAVE: Narrativas – História – Memória

 

 

Cinema e Ensino de História: Realidade Escolar, Propostas
e Práticas Na Sala de Aula

Jairo Carvalho do Nascimento

RESUMO: Atualmente, não se constitui uma novidade a afirmação de que o cinema possui, dentre tantas outras coisas, um grande potencial didático a ser explorado no ensino, no entanto, os filmes não são usados convenientemente em sala de aula. O artigo tem como objetivo, portanto, apresentar e discutir alguns procedimentos metodológicos de como usar o cinema no ensino de História.

PALAVRAS-CHAVE:Cinema – Ensino de História – Orientações metodológicas

 

 

O Tema do Negro na Visão de Géricault
Tatiane de Oliveira Elias

RESUMO: Géricault produziu diversas obras tematizando os negros, como a Balsa da Medusa, o Comércio de Escravos, a Cabeça de uma Jovem Negra, Porte-étendard noir, Episódio da Guerra de Saint–Domingue, Boxeadores, etc. Estas obras coincidem com a época em que a ideologia abolicionista se expandia na França. A discussão a respeito da abolição dos escravos atingiu grande intensidade na Europa e na América e serviu de motivação para a Arte e a Literatura, no período abolicionista.. Pode-se traçar paralelos entre a representação dos negros nas obras de Géricault e nas obras de Samuel Jennings, John Singleton Copley, John Trumbull, Anne-Louis Girodet-Trioson, Marie-Guillemine Benoist, George Morland, etc.

PALAVRAS-CHAVE: Géricault – Negros – Escravidão

 

 

Antropofagia: As Várias Dimensões Antropológicas
Georgia Quintas

RESUMO: Este artigo aborda o conteúdo antropofágico de documentos iconográficos dos séculos XVI e XVII. Propomos compreender a vertente antropofágica existente na representação da gente do Brasil sob a perspectiva da Antropologia Visual. Nesse sentido, relacionamos a visão de mundo a partir da apreensão histórica que envolve o conceito de antropofagismo, assim como o imaginário visual vigente naquele período. De maneira que articulamos a dimensão visual entre os paradigmas eurocêntricos e a contundente produção pictórica do pintor holandês Albert Eckhout a respeito do tema e dos indígenas brasileiros. Ao decodificarmos os índices visuais, a alteridade é discutida e elaborada através dos códigos culturais que perpassam o profícuo universo do exótico e antropofágico Novo Mundo.

PALAVRAS-CHAVE: Antropologia Visual – Antropofagia – Iconografia Colonial – Indígena Brasileiro


 

.

Práticas Musicais em Ongs: Possibilidade de Inclusão Social e o Exercício da Cidadania
Magali Oliveira Kleber

RESUMO: Este artigo aborda as práticas musicais em duas Organizações Não Governamentais (ONGs): a Associação Meninos do Morumbi, da cidade de São Paulo e o Projeto Villa-Lobinhos, da cidade do Rio de Janeiro, vinculado à ONG VivaRio. Ambas têm como eixo comum a educação musical como proposta socioeducativa. O estudo buscou compreender, especialmente, dois aspectos: 1) como as ONGs selecionadas se constituíram e se instituíram como espaços legitimados para o ensino e aprendizagem musical e 2) como se instaura o processo pedagógico-musical nesses espaços. O processo pedagógicomusical foi interpretado como possibilidade de produção de novas formas de conhecimento musical analisado a partir de quatro contextos interconectados: institucional, histórico, sociocultural e de ensino e aprendizagem musical. O contexto histórico se revela como a dimensão de reconstituição da própria identidade institucional e musical das ONGs em estudo, construída mediante os fragmentos de história de vida rememorados pelos informantes da pesquisa. Trata-se, portanto, de uma construção e reconstrução das identidades sociais e culturais de grupos sociais em que a diversidade cultural implica a formação/configuração dos mesmos. O texto busca contribuir para a reflexão e a prática sobre o papel da educação musical no âmbito dos movimentos e projetos sociais em ONGs, nos quais a cultura emerge como elemento significativo na busca de transformação e justiça social.

PALAVRAS-CHAVE: ONGs – Educação musical – Projetos sociais – Terceiro Setor. Processo pedagógico-musical

 

 

Memória e Constituição de Espaços de Cidadania
Maria Elena Bernardes

RESUMO: Esse artigo tem por objetivo discutir a trajetória de Maria Ileide Texeira, uma migrante mineira que chegou a Campinas na década 60, do século XX. Sua condição de migrante, negra, com escolaridade mínima e mulher não a impediram de buscar o seu espaço de inserção política e liderar a construção de uma “creche”, que na verdade era um barraco coberto por uma lona, para abrigar os filhos das famílias do assentamento onde morava. O encontro de Ileide com Silvia Leeven, uma mulher de classe social oposta a sua, resultou em um projeto bem sucedido. Hoje, o Centro Promocional Tia Ileide- CPTI, uma ONG que recebeu este nome em homenagem a Ileide, conta com uma horta comunitária e cinco unidades bem estruturadas nas quais são atendidas mais ou menos 720 crianças e adolescentes de 04 a 18 anos de idade.

PALAVRAS-CHAVE: Ações Voluntárias – Vida Comunitária – História Cultural

 

 

A Cartilha Caminho Suave: História, Memória e Iconografia
Gustavo Cunha de Araújo e Sônia Maria dos Santos

RESUMO: A presente pesquisa visa analisar a importância e o papel das imagens em impressos didáticos de materiais destinados a alfabetização, cujo objetivo específico se concentra em compreender as mensagens visuais encontradas na cartilha Caminho Suave, produzida inicialmente na década de 1930. Destacar a imagem nos meios didáticos é uma forma de revelar a importância que estas tiveram e ainda têm na educação, tanto no sentido metodológico como teórico. Sabemos que hoje em dia, os materiais didáticos incluindo desde livros até meios mais modernos constituem importantes meios para o processo de constituição da alfabetização. As imagens são elementos necessários para o desenvolvimento cognitivo do aluno. A associação entre a utilização da imagem e o objeto do conhecimento no caso específico da alfabetização é tão antigo quanto ao próprio dilema do processo de aquisição da escrita e da leitura pela criança. As pesquisas desenvolvidas pelo NEIAPE E NEPHE, ambos núcleos da UFU, estão sendo de grande importância uma vez que tem nos auxiliado a entender a importância das imagens que apareceram nos livros didáticos, bem como seu contexto histórico e como também sua relevância os autores desses livros, que continuam a utilizar imagens cada vez mais sofisticadas nos impressos dessa natureza. Acreditamos que o cruzamento de fontes impressas (iconográficas) das cartilhas, folhas mimeografadas utilizadas pelas alfabetizadoras, aliados a fonte oral, podem ser significativos para esta investigação. As narrativas poderão auxiliar as análises e reflexões sobre os usos dessa cartilha em Uberlândia, cidade que compõe o Triângulo Mineiro interior do estado de Minas Gerais.

PALAVRAS-CHAVE: Cartilhas – Alfabetização – Imagem – Narrativa

 

 

Jacques Le Goff e as Representações do Tempo na Idade Média
Leandro Duarte Rust

RESUMO: Os estudos dedicados às representações de tempo na Idade Média foram um dos principais responsáveis pela projeção historiográfica do nome de Jacques Le Goff, uma vez que ocupam um lugar de destaque em suas investigações sobre os imaginários e mentalidades medievais. Portanto, este breve artigo tem por propósito estabelecer algumas reflexões críticas sobre um importante elemento constituinte da produção de um dos mais influentes e divulgados medievalistas do século XX e de conhecidas abordagens referentes à constituição histórica do Ocidente. Para tal elaboramos um esboço de revisão historiográfica seguida de um estudo de caso apoiado em fontes documentais do período medieval.

PALAVRAS-CHAVE: Jacques Le Goff – Tempo – Idade Média

 

 

Poder Pessoal e Cultura Política no Sul de Minas no Período Regencial e
Primeiro Decênio do Segundo Reinado

Isaías Pascoal

RESUMO: Este artigo investiga o processo de constituição da forma de pensar e operar a política no sul de Minas no período que vai do início do Período Regencial ao fim dos anos 40 do século XIX, tornandose modelo para as gerações futuras. Marcada pela adesão incondicional ao projeto político dos liberais moderados, hegemônicos no cenário político brasileiro, a elite social dominante no sul de Minas erigiu uma visão de mundo e das relações sociais marcadamente conservadora e governista, ancorada em seu poder pessoal avultado pela ausência de uma sociedade mais bem estruturada e institucionalizada politicamente.

PALAVRAS-CHAVE: Poder – Personalismo – Dominação

 

 

Civilização e Barbárie no Imaginário da Cidade: O Caso do
“Almanach Illustrado de Ribeirão Preto" de 1913

Rodrigo Ribeiro Paziani, Humberto Perinelli Neto
e Rafael Cardoso de Mello

RESUMO: A proposta deste trabalho será a de interpretar o imaginário urbano da Belle Époque Caipira através da presença de imagens e discursos sobre Ribeirão Preto no Almanach Illustrado. Por este prisma, acredito que os almanaques possam revelar uma leitura não apenas idealizada, mas, especialmente, desejada (condições de possibilidade) das transformações urbanas. Mas, se a escrita produzida em almanaques afinava-se com um imaginário urbano elitista e pela presença de uma incipiente sociedade de consumo na cidade, não era menos verossímil que a cidade-desejo evocada nas suas páginas servisse de carapaça à uma trama ambivalente de mando pessoal, de uso da violência e de poder político entre as principais lideranças municipais operadas no lusco-fusco do público/privado e da civilização/barbárie.

PALAVRAS-CHAVE: Almanaque – Ribeirão Preto – Imaginário Urbano





Civilização e a Barbárie Nos Jornais: O Imaginário do “Verde”
Em Cidades de Fronteira Agrícola no Paraná (1954/2000)

Ely Bergo de Carvalho e Eunice Sueli Nodari

RESUMO: O objetivo deste trabalho é analisar as mudanças no imaginário regional a respeito do “verde” expressos em dois jornais: O Jornal de Maringá-PR, entre 1954 e 1969, e a Tribuna do Interior de Campo Mourão-PR, entre 1970-2000. Foi identificado que, na segunda metade do século XX, tem-se duas fases na forma de apresentar o “verde” nos jornais estudados. Até finais da década de 1970, havia um discurso de “civilizadores” e toda a área “verde”, descontrolada e caótica, era vista pejorativamente. Já no final dos anos 70 há uma mudança neste discurso, em direção a uma ecologização.

PALAVRAS-CHAVE: Ecologização – Imprensa – Imaginário





. Resenhas


Judaísmo y Universalidad em la Obra Pictórica de Lasar Segall

Orlando Fernández Aquino e Kênia Maria De Almeida Pereira

 

 

Revista USP 76 – Dossiê Pensando o Futuro: Ciências Exatas
Renan Fernandes

 

 

A Cultura Popular Na Idade Média E No Renascimento
André Luis Bertelli Duarte