Fênix

 

MenuMaker
 

H. RIDER HAGGARD, IMAGINAÇÃO LITERÁRIA E SENSIBILIDADE POLÍTICA: JESS (1886) E A PERDA DO TRANSVAAL (ÁFRICA DO SUL)

Evander Ruthieri da Silva
Universidade Federal do Paraná - UFPR
evander.ruthieri@gmail.com

RESUMO: O artigo versa a respeito das relações entre sensibilidades políticas e a imaginação literária de H. Rider Haggard (1856-1925), com ênfase em seu romance Jess (1886), o qual narra a devolução da colônia do Transvaal, na África do Sul, aos bôeres no início da década de 1880. A análise da produção literária e ensaística do romancista em questão evidencia, simultaneamente, um engajamento fervoroso com as práticas políticas coloniais e as marcas do ressentimento e da humilhação com a perda territorial, questões traduzidas e ressignificadas a partir das sendas da ficção.

PALAVRAS-CHAVE: História e Literatura – África do Sul – H. Rider Haggard


H. RIDER HAGGARD, LITERARY IMAGINATION AND POLITICAL SENSIBILITY: JESS (1886) AND THE “LOSS” OF TRANSVAAL (SOUTH AFRICA)

ABSTRACT: The article deals with the relationship between political sensibilities and literary imagination in H. Rider Haggard (1856-1925), with emphasis on his novel Jess (1886), which narrates the return of the Transvaal colony, at South Africa, to the Boers at the beginning of 1880s. The analysis of the novelist's literary and essay ouvre reveals, at the same time, a fervent engagement with colonial political practices and the marks of resentment and humiliation with the territorial loss, questions translated and re-signified by the ways of fiction.

KEYWORDS:
History and Literature – South Africa – H. Rider Haggard

 

abrir  download

 
Fênix - Revista de História e Estudos Culturais | ISSN: 1807-6971 | Todos os direitos reservados.