ARTIGOS


- O Lamento da Imperatriz: Um Filme de Pina Bausch
Solange Pimentel Caldeira


- Reflexões Sobre “A Pergunta do Morto” de João de Minas
Leandro Antonio de Almeida

-Os Embates Doutrinais de Bossuet a Respeito da Liberdade, Autoridade e Submissão
Maria Izabel B. Morais Oliveira

- Estados-Nacionais e Exércitos na Europa Moderna: Um Olhar Sobre o Caso Português
Francis Albert Cotta

- Uma Visão Integrada Sobre a Companhia das Vinhas do Alto Douro
Paulo Reis Mourão

- As Irmandades Religiosas em São Luís do Maranhão e Sua Missão Salvacionista Agostinho Júnior Holanda Coe

- O Tupi e o Sabiá: Gonçalves Dias e a Etnografia do IHGB em Brasil e Oceania
Kaori Kodama


Os Ecos Autoritários da Marselhesa: Guido Thomaz Marlière e a Colonização dos Sertões do Rio Doce (Minas Gerais)
José Otávio Aguiar



DOSSIÊ "HISTÓRIA DA CIÊNCIA "


- Apresentação do Dossiê “História da
Ciência”
Antonio Augusto Passos Videira



- Problemas de História da Ciência na Época Colonial: A Casa Grande de Gilberto Freyre
Carlos Ziller Camenietzki



- O Ethos Positivista e a Institucionalização da Ciência no Brasil no Início do Século XIX
Luiz Otávio Ferreira


- Sobre a Relação Entre Regimes Políticos e Desenvolvimento Científico: Apontamentos para um Estudo Sobre a História da C&T Durante o Regime Militar Brasileiro
Olival Freire Junior


- A Propósito dos Estudos Biográficos na História das Ciências e das Tecnologias
Silvia F. de M. Figueirôa


- História e Historiografia da Física no Brasil
Cássio Leite Vieira e Antonio Augusto Passos Videira


- Oceanos e Continentes em Debate
Maria Margaret Lopes e Irina Podgorny


- O Jardim Botânico de João Barbosa Rodrigues na Exposição Nacional de 1908
Alda Heizer



RESENHAS


- Brasil em Tempo de Cinema – Ensaio Sobre o Cinema Brasileiro de 1958 a 1966
Henrique José Vieira Neto


- Crítica à Burguesia Paulista em “Três Mulheres de Três PPPês” de Paulo Emílio Salles Gomes
Julierme Sebastião Morais Souza

-Dissecando o Fascismo
Fillipe Gomes de Souza Alves

- Prematuridade na Descoberta Científica: Análise do Conceito de Gunther Stent
Ana Teresa Contier





EDITORIAL

É com imensa satisfação que lançamos mais um número da Fênix – Revista de História e Estudos Culturais (Volume 4, Ano IV, Número 3 – Julho/Agosto/Setembro – 2007).

O site www.revistafenix.pro.br entrou no ar em dezembro de 2004 com o objetivo de trazer a público uma publicação que se caracterizasse pela agilidade, universalidade e gratuidade. Essa preocupação, porém, não encerrava as expectativas depositadas na sua criação. Pelo contrário, o grande propósito era tornar acessível uma publicação capaz de incentivar a interlocução acadêmica e a ampla divulgação de pesquisas instigantes e de alto nível, procurando traduzir a dinâmica e a diversidade dos diálogos interdisciplinares da pesquisa histórica e dos Estudos Culturais.

Os resultados positivos obtidos com esse projeto, considerando também a atual edição, materializam-se na publicação de vinte e duas (22) resenhas e cento e quarenta e quatro (144) artigos, oriundos de diferentes estados do Brasil: Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Pernambuco, Piauí, Paraíba, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo, Goiás e Distrito Federal.

Ademais, a Fênix – Revista de História e Estudos Culturais acolheu dez (10) dossiês, a saber: Chico Buarque & Vianinha: arte e política no Brasil Contemporâneo (organizado pela Editoria), História Oral (organização de Paulo Roberto de Almeida), Homenagem a Jorge Andrade – 50 anos d'A Moratória: Encruzilhadas da Literatura e da História (organização de Diógenes Maciel), Cinema-História (organização de Sheila Schvarzman), Teoria da História (organização de Pedro Spinola Pereira Caldas), História e Visualidades (organização de Alcides Freire Ramos), Teorias do Espetáculo e da Recepção (organização de Robson Camargo), Mundo Romano (organização de Ana Teresa Marques Gonçalves), Estudos Literários (organizado pela Editoria) e História da Ciência (organização de Antonio Augusto Passos Videira).

Vale salientar que, ao longo desse período, a Fênix – Revista de História e Estudos Culturais deu passos decisivos para a sua consolidação no meio acadêmico. Isto pode ser afirmado não somente por ter sido incluída no Portal de Periódicos de Acesso Livre da CAPES e em um importante indexador internacional, o DOAJ - Directory of Open Access Journals, ambas ocorridas em 2006, mas também pelo fato de ela ter melhorado sua avaliação no QUALIS/CAPES. Tudo isso contribuiu para o aumento de seu impacto junto à comunidade acadêmica nacional e internacional das áreas de História, Letras e Artes.

Como comprovação dessa melhora, deve-se destacar o aumento considerável da remessa de artigos, a predominância da colaboração de doutores e o recebimento de artigos internacionais. Outro indicador importante para a avaliação das atividades desenvolvidas nesses últimos anos diz respeito ao número de visitas ao site www.revistafenix.pro.br, isto é, até o momento, a Fênix – Revista de História e Estudos Culturais recebeu mais de setenta e cinco mil (75.000) consultas, assim divididas: 70% dos acessos originam-se do Brasil, e os 30% restantes são internacionais (Portugal, EUA, México, França, Itália, Espanha, Alemanha, Suécia, Inglaterra, entre outros).

Além disso, a Fênix – Revista de História e Estudos Culturais concorreu a recursos de Edital de apoio a publicações científicas e, com base no bom desempenho desses últimos anos, foi contemplada e já está recebendo suporte financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Por fim, cabe sublinhar que, como coroamento de todo esse processo, em 2008, receberá apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG), tendo em vista a liberação das verbas previstas no Edital 07/2007, referente ao Programa de Apoio a Publicações Científicas e Tecnológicas.

Entretanto, é preciso que se diga: muito pouco teria sido feito sem o envolvimento da Secretaria Executiva e dos Conselhos Editorial e Consultivo. O desprendimento e a coragem dos diretamente envolvidos nessa empreitada foram de grande importância para o bom encaminhamento dos trabalhos, mantendo a qualidade editorial e publicando artigos de excelência. Acima de tudo, devemos aqui registrar uma especial menção aos nossos leitores e colaboradores: sem eles, nada disso teria sido possível. Por esta razão, queremos expressar nossos mais sinceros agradecimentos a todos aqueles que, acessando o site ou enviando seus artigos, contribuíram e contribuem para que a Fênix – Revista de História e Estudos Culturais tenha sido tão bem recebida.

Com efeito, mais um bom exemplo dessa afirmação pode ser verificado neste número, que ora vem a público. Nele, o leitor será motivado a conhecer melhor a contribuição dos pesquisadores brasileiros que se dedicam à História da Ciência, graças ao Dossiê organizado por Antonio Augusto Passos Videira e que é composto por artigos de Silvia F. de M. Figueirôa, Maria Margaret Lopes, Irina Podgorny, Luiz Otávio Ferreira, Carlos Ziller Camenietzki, Alda Heizer, Cássio Leite Vieira, Antonio Augusto Passos Videira e Olival Freire Junior.

Como se isso não bastasse, ao consultar a seção livre, com o artigo de Solange Pimentel Caldeira, os nossos leitores entrarão em contato com uma provocante incursão pelos estudos da Dança, enfocando particularmente os trabalhos de Pina Bausch. Igualmente sedutor é o artigo de Leandro Antonio de Almeida, que se volta para uma crônica do escritor João de Minas intitulada A Pergunta do Morto. Por outro lado, os interessados nas questões relativas ao período moderno terão a oportunidade de aprofundar seus conhecimentos a partir da leitura dos artigos de Maria Izabel B. Morais Oliveira, Francis Albert Cotta e Paulo Reis Mourão. Ainda na seção livre, os nossos leitores poderão encontrar o artigo de Agostinho Júnior Holanda Coe, o qual lança olhares inovadores sobre o tema das Irmandades Religiosas. Completando essa seção, Kaori Kodama e José Otávio Aguiar, discutindo aspectos da História brasileira, durante o século XIX, apresentam reflexões instigantes. A primeira acerca do lugar ocupado pelo índio na História do Brasil, e o segundo a respeito da organização das Divisões Militares no sertão mineiro. Ambas, certamente, despertarão muito interesse .

Na Seção dedicada às resenhas, os nossos leitores poderão conferir avaliações críticas de quatro lançamentos recentes: os livros de Jean-Claude Bernardet (Brasil em tempo de cinema. São Paulo: Cia. das Letras, 2007), Paulo Emílio Sales Gomes (Três mulheres de três PPPês. São Paulo: Cosacnaif, 2007), Robert Paxton (A anatomia do fascimo. São Paulo: Paz e Terra, 2007) e Ernest Hook (Prematuridade na descoberta científica. São Paulo: Perspectiva, 2007).

A expectativa em relação a esse novo número é a de que ele tenha aceitação semelhante aos anteriores.

Mais uma vez, agradecemos pelos artigos enviados e, antecipadamente, pelo apoio na divulgação deste periódico.

Boa leitura a todos!

Alcides Freire Ramos, Rosangela Patriota e Pedro Spinola Pereira Caldas

Editores da Fênix – Revista de História e Estudos Culturais