ESTUDOS CULTURAIS, PÓS-COLONIALISMO E A (DES)CONSTRUÇÃO DO OUTRO:
A ORIENTALIZAÇÃO DO NOVO MUNDO – O CASO DO BRASIL

  • Lélian Patrícia de Oliveira Silveira
  • Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca - CEFET /RJ
  • lelian.silveira@hotmail.com
  • Maria Manuel Rocha Teixeira Baptista
  • Universidade de Aveiro - Aveiro, Portugal
  • mbaptista@ua.pt

RESUMO: À luz dos Estudos Culturais e da Teoria Pós-Colonial, o presente estudo propôs-se investigar como o Brasil, embora não esteja localizado no Oriente, foi sendo construído dentro de uma suposta essência orientalizante. Neste sentido, o artigo apresenta o quadro histórico-cultural do país e procede uma revisão bibliográfica pelos principais autores dos Estudos Pós-Coloniais, autores centrais e alguns seminais dos Estudos Culturais, que ousaram denunciar e desconstruir os discursos de poder presentes entre (ex) colonizadores e (ex) colonizados.

PALAVRAS-CHAVE: Estudos Culturais – Pós-Colonialismo – Orientalismo. Brasil

ANCHIETA, J. Cartas Jesuíticas III – Cartas, informações, fragmentos históricos e sermões do Padre José de Anchieta (1554-1594). Publicações da Academia Brasileira de História, Editora Civilizações Brasileira S. A., 1933. (Acervo Digital Biblioteca Brasiliana, USP).

ANTONACCI, M. A.  Memórias ancoradas em corpos negros. São Paulo: EDUCS, 2013. 

AOUN, S.  A Procura do paraíso no universo do turismo. São Paulo: Papirus, 2001.

BAPTISTA, M. M.  A criação do “Outro” na cultura pós-moderna. In: JORGE, V. O. (Coord.) Cultura Light. Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Departamento de Ciências e Técnicas do Patrimônio. pp. 235-243, 2005.

BAPTISTA, M. M. O Gênio colonial português. O papel dos media na criação de um Mundo português. Coimbra: Grácio Editor, 2017

BHABHA, H. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

CABAÇO, J. L.; CHAVES, R. DE C. N. Frantz Fanon: colonialismo, violência e identidade cultural. In: ABDALA JUNIOR, B. (Org.). Margens da cultura: mestiçagem, hibridismo & outras misturas. São Paulo: Boitempo, 2004.

COSTA, S. Desprovincializando a sociologia: a contribuição pós-colonial. In: Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 21, n.60, pp. 117-134, 2006.

FANON, F. Os condenados da terra. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira S.A., 1968.

FOUCAULT, M. História da Sexualidade 1: A vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 1987.

HALL, S. Da diáspora – identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003. 

HALL, S.  The centrality of culture. In: THOMPSON, K. (Org.). Media and Cultural Regulation. London: Thousand Oaks; New Delhi: The Open University; SAGE Publications, 1997.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP & A, 1992.

HALL, S.  The West and the Rest. Discourse and Power. In: HALL, S. et al. (Org.). Modernity. Introduction to the Modern Societies. Oxford, Blackwell, 1996.

LANDER, E. (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO Livros, 2005.

LARA, A. S.  Imperialismo, descolonização, subversão e dependência. Lisboa: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, 2002.

MORLEY, D.; CHEN, K. (Eds.). (2005). Stuart Hall: critical dialogues in cultural studies. Londres/Nova York, Routledge.

O´GORMAN, E. A invenção da América. São Paulo: UNESP, 1992. 

PAIVA, P.  P. O inferno e o paraíso em duas visões marginais. In: Ler História, n.33, Separata, 1997. 

PRATT, M. L. Os olhos do império: relatos de viagem e transculturação. São Paulo: EDUSC, 1999. 

QUIJANO, A. Colonialidade do poder, eurocentrismo e America Latina. In: PRATT, M. L. Os olhos do império: relatos de viagem e transculturação. São Paulo: EDUSC, 1999. 

SAID, E. W. Orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, 1990. 

SAID, E. W. Cultura e Imperialismo. Companhia de Bolso, 2011.

SANCHES, M. R.  O homem reinventado. In: SANCHES, M. R. & SERRÃO, A. V. (Ed.). A invenção do homem: raça, cultura e história na Alemanha do século XVIII. Centro de Filosofia de Universidade de Lisboa, 2002.

SANCHES, M. R.; SERRÃO, A. V. (Ed). A invenção do homem: raça, cultura e história na Alemanha do século XVIII. Centro de Filosofia de Universidade de Lisboa, 2002.

SANTOS, E. P.  Pós-colonialismo e pós-colonialidade. In: FIGUEIREDO, E. (Org.). Conceitos de literatura e cultura. Juiz de Fora: Editora UFJF, Niterói: Editora UFF, 2005.

SODRÉ, N. W. A ideologia do colonialismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1965.

SOUSA SANTOS, B.  Entre Próspero e Caliban: colonialismo, pós-colonialismo e interidentidade. In: Novos Estudos Cebrap, n.66, pp. 23-52, 2003.

SHOHAT, E;. STAM, R. Crítica da imagem eurocêntrica: multiculturalismo e representação. São Paulo: Cosac Naify, 2006.

SPIVAK, G. C. Pode o subalterno falar? Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2010.

WALLERSTEIN, I.  O universalismo europeu: a retórica do poder. São Paulo: Boitempo, 2007.